Liberdade para os e as presas de Curuguaty, Verdade e Justiça.


Pedido urgente de solidariedade:

Articulación por Curuguaty: Liberdade para os e as presas de Curuguaty, Verdade e Justiça.

Resgate do fato:

No dia 15 de junho de 2012, um grupo de policiais que ia cumprir uma ordem de despejo no departamento de Canindeyú, na fronteira com o Brasil, foi emboscado por franco-atiradores, misturados com camponeses que pediam terras para sobreviver. A ordem de despejo foi dada por um juiz e uma promotora para proteger um latifundiário. Resultado da ação: 17 mortos, 6 policiais e 11 camponeses, além de dezenas de feridos graves. Este fato culminou no golpe parlamentar contra o ex presidente Fernando Lugo.

Presos e presas em greve de fome a mais de 56 dias

A situação é gravíssima no que se refere as expectativas de vida dos companheiros presos e presas, em greve de fome pelo Caso Curuguaty: Juan Carlos Tillería, Lucía Agüero, Alcides Ramírez e Luis Olmedo. E também respeito a saúde de Felipe Nery Urbina, quem deixou a greve de fome, passado 50 dias levados a cabo. O informe médico é alarmante, já que indica que estariam perto de entrar à fase 3, onde correm o risco de perderem a vida.

Devido a gravidade que envolve a situação dos que hoje se encontram em greve de fome, igualmente, os quatro presos e presas necessitariam, no mínimo, um mes de internação em um hospital de alta complexidade para voltar a ingerir alimentos de forma normal.

 

Ato Ecumênico e Vigilia Social Permanente

em prol da Vida e Liberdade de presos e presas políticas de Curuguaty (Paraguay)

No dia 21 de Novembro, quarta-feira, a Articulación por Curuguaty convocou, em Asunción, o Ato Ecumênico e Vigilia Social Permanente em prol da Vida e Liberdade das e dos 12 trabalhadores rurais de Curuguaty, que teve por fim:

– Dar visibilidade à exigencia social de Liberdade para os companheiros e companheiras presos de Curuguaty, como um direito e, hoje, se constitue em um gesto humanitário que as autoridades que respondem pelo caso, estão em condições de realizar.

– Acompanhar física e simbolicamente a vigilia que, em Curuguaty e Coronel Oviedo, realizam desde alguns dias as famílias das pessoas presas e todas as vítimas do massacre de Curuguaty.

– Criar um espaço para que o povo paraguaio, de grande Asunción em particular, possa expressar sua solidariedade com a luta das pessoas presas injustamente, que hoje fazem greve de fome por mais de 56 dias.

Este ato dá continuidade á vigilia que vem sendo realizada desde o dia 15 de Novembro e que nesta segunda-feira, 20, se revitaliza com uma série de atividades em exigencia à liberdade das presas e presos.

Solidaridade e Denuncia.

 

Mais informações sobre a causa e a solidariedade:

Vicente Morales, Advogado, Telefone: 0971-742004

Cynthia Elizabeth Jara, Telefone: 0983-876876

Perla Álvarez, Articulación Curuguaty, Telefone: 0981-146 575

Equipe de comunicação da Articulação Curuguaty:

Carlos Goncalvez, Red de Radios Educativas del Paraguay –

0982419236

Fátima Rodríguez, Ápe Paraguay – 0984-278776

Rufino Diana, Voces Paraguay – 0986-199454

Nadia López, Conamuri – 0985-315195

Pelao Carvallo – 0961 102 544

Anúncios

Sobre União - Campo, Cidade e Floresta

Noticias das LUTAS DOS POVOS EMPOBRECIDOS - NO CAMPO, NA CIDADE E NA FLORESTA.
Esse post foi publicado em Internacional. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s