Após denúncias, nenhuma providência e Guarani Kaiowá é executado


foto: Ruy Sposati

Mesmo após as denúncias de que indígenas Guarani Kaiowá que estavam sendo ameaçados, não foram tomadas providências para apurar e coibir a ação de pistoleiros no Mato Grosso do Sul. O resultado é a morte de Denilson Barbosa, de 15 anos, morador da aldeia Tey’ikue, encontrado morto neste domingo (17) no município de Caarapó, em uma estrada vicinal a sete quilômetros do perímetro urbano da cidade, com um tiro na cabeça.

Segundo relatos de testemunhas, Denilson e outros dois indígenas estavam indo pescar no sábado(16), quando foram abordados por três pistoleiros ligados ao proprietário e arrendatário de uma fazenda vizinha à Reserva de Caarapó. OS amigos conseguiram escapar, mas Denilson foi apreendido pelos pistoleiros e assassinado.

Revoltados, familiares e moradores da aldeia enterraram o corpo de Denilson na fazenda onde ocorreu o assassinato, arrendada para a criação de gado e o monocultivo de soja. A comunidade também planeja realizar uma série de protestos para denunciar a ação violenta.

Segundo a perícia criminal da Polícia Civil, Denilson foi encontrado com um tiro abaixo do ouvido, mas o laudo cadavérico do Instituto Médico Legal (IML) ainda não foi concluído. A Polícia iniciou as investigações, mas não quis dar detalhes sobre o caso.

Vale lembrar que desde o mês de dezembro passado os Guarani Kaiowá vêm denunciando ataques e ameaças vinda dos fazendeiros.

Relato dos sobreviventes – Conforme o relato dos dois indígenas que sobreviveram ao ataque, os indícios apontam para execução. Segundo eles, os três indivíduos que os atacaram eram ‘funcionários’ de um arrendatário da fazenda. Os três homens atiraram contra os indígenas, que fugiram. Dois conseguiram se esconder, mas Denilson caiu e ficou preso no arame farpado de uma cerca.

Segundo os índios, os três homens deram coronhadas na cabeça e no estômago do Kaiowá, mandando que ele se levantasse e quando ele ficou de pé, foi alvejado com três tiros: dois na cabeça e um no pescoço. Os dois sobreviventes contaram ainda que viram os homens colocarem o corpo do colega na caçamba de uma caminhonete.

Após o veículo sair do local, os dois sobreviventes voltaram à aldeia para relatar o ocorrido à família e o pai de Denilson decidiu ir até a fazenda procurar o filho, mas ao chegar ao local, o pai do jovem assassinado não encontrou ninguém, porque a fazenda teria sido evacuada.

Nota da Aty Guasu – Leia abaixo na íntegra a nota do conselho indígena Aty Guasu, sobre o fato.

Infelizmente, é com muito pesar, nós conselho da Aty Guasu guarani e Kaiowá, vimos a todos (as) AUTORIDADES E CIDADÃOS DO BRASIL E DO MUNDO comunicar que ontem um grupo indígenas Guarani-Kaiowá foram atacados e violentados pelos pistoleiros das fazendas da região de Caarapó-MS. Um adolescente foi assassinado a tiro-bala pelos homens das fazendas, localizada próxima da Reserva/Aldeia Tey’i kue/Caarapo, município de Caarapó-MS.

Hoje (18/02/2013) mais de duas centenas de Guarani-Kaiowá enterraram o corpo do menino no local em que foi assassinado. Esse lugar é terra Guarani-Kaiowá tradicional reivindicada pelos indígenas que está em estudo antropológico, há anos. Diante do fato de violência antiga contra as vidas dos indígenas Guarani-Kaiowá, hoje à tarde, mais de 200 Guarani-Kaiowá tentam reocupar o tekoha e permanecerem no lugar, fazendo protesto contra as violências contra a s vidas Guarani e Kaiowá, pedindo a JUSTIÇA. Está tenso no local em que começou o protesto passivo dos Guarani e Kaiowá. Os agentes da PF e FUNAI foram no local ontem e hoje.

Por fim, mais uma vez, solicitamos a investigação do fato pela Polícia Federal e pedimos a presença permanente de seguranças federais no local. A comunidade Guarani e Kaiowá já decidiu em permanecer em protesto nesse tekoha guasu onde foi assassinado o menino Kaiowá. Entorno de tekoha reocupada em protesto já começou movimento dos pistoleiros. O risco de ataque dos pistoleiros é iminente.

Amanhã, retornaremos a comunicar a todos (as).

Tekoha Guasu Guarani e Kaiowá, 18 de fevereiro de 2013.

fonte: http://brasiliaempauta.com.br/artigo/ver/id/1567/nome/Apos_denuncias__nenhuma_providencia_e_Guarani_Kaiowa_e_executado

Anúncios

Sobre União - Campo, Cidade e Floresta

Noticias das LUTAS DOS POVOS EMPOBRECIDOS - NO CAMPO, NA CIDADE E NA FLORESTA.
Esse post foi publicado em Direitos Humanos, indigenas, Luta Indigena. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Após denúncias, nenhuma providência e Guarani Kaiowá é executado

  1. conhecimentomeditando disse:

    COMO PODE SER ASSIM ESSA BABILONIA QUE JA ESTA NO FIM! TDS IRAM PAGAR PELO MMAL A MÂE TERRA! FOGO EM TODO MAL DE ROMA QUE NOS FEZ CHEGA A ESSA SITUAÇÂO TDS MANNIPULADOS E COMANDADOS PELO MAL ACHAM QUE ESTAO CErTO MAS SÒ LUXURIA E CARNIFICINA CRIAÇÃO DE ARMAS E ToXINAS A TD LUGAR ADORANDO A LUCIFER E SE SQUECEM DO VERDADEIRO JESUS QUE ERA COMO INDIO E ErA COMO PARA TDS ESTAR VIVENDO EM COMUHNHÂO COM A TERRA E AS PLANTAS DO PODER DANDO O CONHECMENTO DISCERNIMENTO E MEDITANDO COM DEUS ESPIRITUAL ! o Mal iria existir. a morte e a pobreza e normal Aqui!espero q tds acordem !FORÇA DA CRIAção AlfaeOmega !!o mal cairá!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s