NOTA PÚBLICA DA ATY GUASU GUARANI E KAIOWÁ CONTRA GENOCÍDIO


NOTA PÚBLICA DA ATY GUASU GUARANI E KAIOWÁ CONTRA GENOCÍDIO

Esta nota da Aty Guasu visa fazer uma breve análise sobre a notícia/manchete “Manifestação contra demarcações marcou a sexta em Sete Quedas”, “Manifestação contra demarcações trouxe o campo para a cidade” divulgada pela mídia local de Amambai-MShttp://www.agazetanews.com.br/noticia , no dia 08 de março de 2013, às 23:47, jornalista-autor é o Vilson Nascimento. 

Inicialmente, observamos que www.agazetanews.com.br/noticiadestaca nos dois vídeos os conteúdos do pronunciamento do presidente do Sindicato Rural Orlando Vendramini, além disso, foi destacado também em vídeo o discurso do Senhor Hilário Rosa, ntitulado de “O ponto de vista do antropólogo Hilário Rosa sobre as demarcações”. Após a nossa análise minuciosa dos discursos do Senhor Hilário Rosa, concluímos que as argumentações do Senhor Hilário Rosa, a princípio, não tem sustentações científicas. É muito evidente que os discursos do Senhor Hilário Rosa não são resultados de procedimentos e estudos científicos vinculados ao campo das Ciências Sociais, Historiografia, Arqueologia, etc. Assim, ele tenta desconhecer e ignorar publicamente os fundamentos de procedimentos e estudos científicos das Ciências Sociais. Ao mesmo tempo, constatamos que o Senhor Hilario Rosa não possui formação em Antropologia que somente há em nível mestrado e doutorado, portanto, Hilário não tem realizado a pesquisa antropológica e historiográfica, como ele afirmou na imprensa. Assim, Senhor Hilário faltou com a verdade, ou melhor, ele mentiu publicamente, as explicações dele evidentemente são inverídicas. Acreditamos que o Senhor Hilário Rosa só se autodenomina de antropólogo e com isso pode ter sido enganado vários fazendeiros das regiões Sul de MS, ganhando muitos dinheiros dos fazendeiros. Parece que ele foi mais especialista nisso. Analisamos e concluímos também que os discursos do Senhor Hilário são baseados meramente no senso comum predominante dos fazendeiros genocidas, racistas, preconceituosos e violentos contra as vidas humanas, portanto os discursos lançados na manifestação dos fazendeiros no dia 08 de março na cidade Sete Queda não têm fundamentos científicos, mas são os discursos genocidas antigos que infelizmente estimulam e alimentam as ações violentas contra as vidas humanas. Claramente, esses modelos de discursos dos fazendeiros divulgados são antigos que ao longo da história do MS e do Brasil não tem contribuído na resolução dos litígios/conflitos fundiários. Constatamos que na manifestação e nos discursos dos fazendeiros é demonstrada a grande valorização só das máquinas pesadas como os tratores destrutivos (veja fotos) que são e serão extremamente nocivos aos meios ambientes e biodiversidades do planeta Terra. Importa destacar que as demandas escritas destinadas à presidenta Dilma seriam dos tratores e não procedem dos seres humanos. Assim, essas demandas dos tratores, do Senhor Hilário Rosa, dos fazendeiros e dos políticos locais não estão contribuindo nas soluções possíveis dos conflitos fundiários existentes no Sul de MS. Ficam evidentes que tanto a faixa colada nos tratores, os depoimentos do Senhor Hilário Rosa quanto os sindicatos Rurais apenas incitam mais violências contra os Guarani-Kaiowá. Por exemplo: o Senhor Hilário afirmou que “no Brasil nunca viveram os indígenas Guarani-Kaiowá”, “esses índios são trazidos do Paraguai”. Como já é conhecimento de todos que nas universidades nacionais e internacionais há resultados de pesquisas científicas sobre a trajetória histórica dos Guarani-Kaiowá; no Arquivo Nacional há também diversos documentos históricos e relatórios oficiais do Governo do Brasil que contradizem totalmente os argumentos e explicação infundadas do Senhor Hilário Rosa.

Por fim, observamos que nos vídeos, os agentes da FUNAI, CIMI, Ongs foram atacado e taxado reiteradamente, de modo enérgico pelo Hilário Rosa e fazendeiros, mas nós lideranças Guarani-Kaiowá temos certeza que as demandas da demarcação de terras Guarani-Kaiowá não foram e nem são interesses dos agentes da FUNAI, do Governo Federal e do CIMI, etc. Essa luta histórica pela demarcação de terras é exclusivamente dos indígenas Guarani-Kaiowá, por exemplo: de fato, até os dias de hoje, nenhum agente da FUNAI e nem do CIMI foi assassinado pelos pistoleiros das fazendas, isto é, quem luta reiteradamente e morre pelas terras indígenas não são os funcionários da FUNAI e nem do CIMI. Como já anunciado antes, somos nós lideranças e comunidades Guarani-Kaiowá que resistimos, retomamos/reocupamos as nossas terras tracionais. Sabemos muito bem que no passado, as nossas lideranças já foram violentadas e assassinadas pelos fazendeiros. Hoje, as comunidades Guarani-Kaiowá que estão sendo ameaçados e isolados pelos pistoleiros das fazendas. Assim, a luta pela recuperação de pedaços de terras ancestrais sempre foi, é e sempre será exclusivamente do Guarani-Kaiowá. Frente à notícia em foco, nós comissão das lideranças da Aty Guasu, mais uma vez, vimos reafirmar publicamente que a luta pela terra ancestral é nossa, com certeza. Todos (as) autoridades e cidadãos (ãs) já estão cientes e compreendem muito bem que as violências contra as nossas lideranças e comunidades Guarani-Kaiowá e ameaças de morte não vão nos intimidar e nos recuar mais da luta pelos pedaços de nossas terras tradicionais, isso já está claro, quando for preciso, repetiremos incansavelmente essa nossa luta secular. A nossa luta pelas terras ancestrais é imutável e irrenunciável.

Esperamos que Senhor Hilário Rosa para ser antropólogo de verdade estude de verdade as histórias do Brasil e dos Guarani-Kaiowá, isto é, ele estude e pesquise muito antes de explicar e afirmar algo a respeito da luta do Guarani-Kaiowá, estude primeiro Senhor Hilário. Desejamos que o Senhor Hilário Rosa estude também a história da criação de fronteira do Brasil com Paraguai. Nós Guarani-Kaiowá entendemos que um professor universitário não deve faltar com a verdade, mas o prof. Hilário Rosa faltou com a verdade publicamente no dia 08 de março de 2013 e o jornalista da mídia local passou reproduzir e divulgar as explicações inverídicas do Senhor Hilário Rosa ficando conivente com os discursos infundados. Ver os vídeos no site http://www.agazetanews.com.br/noticia

Boas reflexões a todos (as)

Tekoha Guasu Guarani-Kaiowá, 12 de março de 2013.
Conselho da Aty Guasu

Anúncios

Sobre União - Campo, Cidade e Floresta

Noticias das LUTAS DOS POVOS EMPOBRECIDOS - NO CAMPO, NA CIDADE E NA FLORESTA.
Esse post foi publicado em indigenas, Luta Indigena. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s