Em solidariedade, mais de oitenta membros dos povos do MS se deslocam à Sidrolândia após morte de Terenas


Mais de oitenta indígenas Guarani Kaiowás e das etnias Kinikinau, Guató e Ofaié estão se deslocando à Terra Indígena Buriti em solidariedade ao povo Terena após a morte de um indígena na manhã desta quinta-feira (30) em Sidrolândia (67 km de Campo Grande, MS).
A morte de Oziel Gabriel, 35, pai de dois filhos, com ferimentos no peito, ocorreu durante reintegração de posse na área. Segundo lideranças, além de Oziel, mais dois indígenas foram mortos e pelo menos 20 foram feridos com armas de fogo (número maior do que divulgado por sites de notícias).
As lideranças relatam que a ação foi realizada com policiais civis, militares e federais, com quatro ônibus, ao menos cinco viaturas do Cigcoe (Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais), pelo menos dez viaturas da Polícia Federal e duas dos Bombeiros. Além dos soldados, pistoleiros e o ex-deputado estadual Ricardo Bacha (PSDB-MS), que reivindica posse da terra, acompanharam a ação.
Ontem (29), durante audiência com a participação dos terena e dos fazendeiros da região, em Campo Grande, ficou definido que os índios deveriam sair da área. A ação policial ocorreu algumas horas depois da decisão.

A Terra Indígena Buriti foi reconhecida em 2010 pelo Ministério da Justiça como de posse permanente dos índios da etnia terena. A área, localizada entre Dois Irmãos do Buriti e Sidrolândia, foi delimitada em portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU) e abrange 17.200 hectares.

Após a declaração, o processo segue para a Casa Civil, para a homologação da presidência da República, o que ainda não foi feito. Durante nove anos, as comunidades indígenas aguardaram a expedição da portaria declaratória. Devido à demora do governo, fazendeiros recorreram a várias instâncias judiciais.

O aumento da tensão entre indígenas e fazendeiros está relacionado com a decisão do governo federal, anunciada pela ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, de suspender as demarcações de terra e ameaçar alterar a forma de demarcação, incluindo outros ministérios e a Embrapa.

Veja a notícia divulgada em alguns sites:
http://noticias.terra.com.br/brasil/policia/ms-indio-morre-e-quatro-ficam-feridos-em-confronto-com-a-policia,545bf8dbb46fe310VgnVCM3000009acceb0aRCRD.html

http://g1.globo.com/mato-grosso-do-sul/noticia/2013/05/indio-ferido-em-confronto-com-policia-morre-em-hospital-diz-funai.html

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2013/05/30/indios-terenas-e-policiais-entram-em-confronto-durante-desocupacao-em-sidrolandia-ms.htm

Tribunal Popular: o estado no banco dos réus!

Anúncios

Sobre União - Campo, Cidade e Floresta

Noticias das LUTAS DOS POVOS EMPOBRECIDOS - NO CAMPO, NA CIDADE E NA FLORESTA.
Esse post foi publicado em indigenas, Internacional, Luta Indigena. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Em solidariedade, mais de oitenta membros dos povos do MS se deslocam à Sidrolândia após morte de Terenas

  1. ILDEFONSO PENTEADO disse:

    O ESTADO CAPITALISTA IMPÕE AOS POBRES O QUE LHES DEVE PERTENCER,NADA!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s