Aty Guasu Ñanderu Mo Mbarete: Carta dos jovens Guarani e Kaiowá


Nós, jovens Guarani, Kaiowá, Terena, Kadiwéu e Kinikikau reunidos junto às lideranças, rezadores Teko’aruvixa, professores, agentes e representantes de saúde, em Dourados, na aldeia Jaguapiru, no Aty Guasu – nós jovens estamos vendo o sofrimento na questão da luta de nosso tekoha. Precisamos urgente que demarquem as nossas terras tradicionais. Nós somos o futuro e a raiz da terra.

Queremos nossas terras de volta. Estamos na luta pelo nosso direito. Passamos precários problemas e obstáculos por causa das nossas terras. Nos preocupa as nossas lideranças que já foram várias vezes ameaçadas, e continuam sendo ameaçadas por estarem lutando pelo que é nosso.

Diante dos problemas que passam todas as aldeias e acampamentos, que estão sendo apresentados no Aty Guasu, estamos apoiando so nossos Tuvixa porque são eles a nossa raiz.

Nos comprometemos a valorizar nossa cultura, nossas rezas, dando continuidade ao que nosso antepassado nos deixou. Essa é a nossa arma.

Pedimos que as autoridades resolvam logo o nosso problema, pela voz de todos os indígenas.

Exigimos uma educação diferenciado, que nossas escolas tenham professores indígenas, pois temos pessoas formadas pra isso.

Na questão da saúde, sofremos diariamente a falta de medicamento, viaturas, médicos e dentistas. A situação de saúde nos acampamentos é precária. Falta agente de saúde e tudo mais.

Queremos concurso público diferenciado para indígenas, tanto na saúde quanto na educação.

Exigimos mais segurança, com condições (viaturas e combustível), principalmente em área de conflito, de retomada, opis nestes lugares sofremos ameaças por parte de pistoleiro, e outros.

Garantir políticas públicas para a juventude indígena Guarani, Kaiowá, Terena, entre outros povos do MS.

Na esperança de sermos atendimentos, aguardamos.

Aty Guasu
Dourados, 27 de julho 2013

Anúncios

Sobre União - Campo, Cidade e Floresta

Noticias das LUTAS DOS POVOS EMPOBRECIDOS - NO CAMPO, NA CIDADE E NA FLORESTA.
Esse post foi publicado em indigenas, Luta Indigena. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s