MST ocupa fazenda Martinópolis pela 8ª vez.‏


Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra-MST

Regional de Ribeirão Preto.

Na madrugada de sábado 31 de agosto, cerca de 350 famílias do acampamento Alexandra Kollontai, organizado pelo MST, ocuparam pela 8ª vez a fazenda Martinópolis, em Serrana-SP, no km 31 da rodovia Abrão Assed.As famílias de trabalhadores e trabalhadoras rurais sem terra lutam há mais de 5 anos pela destinação das terras pela fins de reforma agrária.  

A fazenda possui uma dívida de cerca de R$ 300 milhões de ICMS junto ao governo do estado de São Paulo, além de inúmeros processos trabalhistas e ambientais, já tendo sido, inclusive, denunciada pelo emprego de trabalho indígena no corte da cana sem o conhecimento da FUNAI.  

O MST luta para que a área seja adjudicada pela governo do Estado. No ano passado, o governador Geraldo Alckmin se comprometeu com as famílias do acampamento Alexandra Kollontai que adjudicaria a fazenda e destinaria as terras para fins de reforma agrária. O INCRA, por sua vez, emitiu documento assumindo a responsabilidade pela implementação do projeto de reforma agrária, caso a área seja adjudicada. Assim, o processo se encontra nas mãos do governo do estado de São Paulo e depende da vontade política do governador.

Semana passada. 

Na semana passada, as cerca de 350 famílias do acampamento Alexandra Kollontai realizaram uma marcha no município de Serrana-SP para denunciar a precária condição de vida em que se encontram e reivindicar junto a Prefeitura Municipal o atendimento imediato de uma pauta social. 

O acampamento se encontra próximo a área de monocultivo de cana-de-açúcar, na rodovia Abrãao Assed. O altíssimo volume de agrotóxico despejado na produção, que contamina os solos e a água, as queimadas da palha da cana-de-açúcar, os inúmeros focos de incêndio, além do difícil acesso à água e a precária condição de moradia (barracos de lona preta) expõem as famílias a inúmeros riscos de saúde. 

Segundo a direção local do MST, somente a adjudicação da fazenda e a implementação do projeto de assentamento pode resolver os problemas e dificuldades enfrentados pelos trabalhadores e trabalhadoras rurais sem terra. O processo, no entanto, depende da vontade política do governador do estado de São Paulo. 

As famílias do acampamento Alexandra Kollontai exigem que o governo do estado cumpra sua promessa e tome as medidas necessárias para a adjudicação da fazenda Martinópolis imediatamente.

Contatos:

(16) 98105-2721

(16) 99155-9204

Sobre União - Campo, Cidade e Floresta

Noticias das LUTAS DOS POVOS EMPOBRECIDOS - NO CAMPO, NA CIDADE E NA FLORESTA.
Esse post foi publicado em Luta no Campo. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alteração )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alteração )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alteração )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alteração )

Conectando a %s