Diretora da Antonio Manoel tenta golpe nos estudantes


A Srª Valdete Carvalho tem um acúmulo, mas não é de experiência. Desde o dia 02 de dezembro, data do primeiro ato público dos estudantes contra o “muro da vergonha”, ela vem acumulando violações de direitos dos estudantes da Antonio Manoel.

Denunciada pelos estudantes de ter impedido a formação de grêmio na escola, ela foi surpreendida na última sexta-feira, 20 de dezembro, dia letivo no calendário escolar, quando os estudantes protocolaram com ela a notificação que estava formada a comissão pró-grêmio, que irá trabalhar para a constituição da entidade estudantil.

Neste momento da entrega do documento, a diretora anunciou que havia chamado a ONG “Sou da Paz” para organizar o Grêmio na Antonio Manoel. Mais um ato arbitrário da direção, pois em nenhum momento ela discutiu com o corpo discente da escola. Mais um golpe que foi frustrado pela organização estudantil, que antes do golpe, fizeram uma reunião e constituíram a comissão, antes dela dar mais este golpe.

Existem algumas leis que legitimam a organização estudantil na escola e nem professores e nem direção escolar podem interferir na organização dos estudantes (clique aqui para conhecer os direitos dos estudantes), portanto, quando a direção impede esta organização, está violando a nossa legislação.

Mais uma vez, a Srª Valdete Carvalho prova que não é capaz de dirigir uma instituição educativa. Está em seu currículo profissional o assédio moral aos professores, a coação de estudantes, o impedimento de constituir o grêmio estudantil, a arbitrariedade, o autoritarismo, chamar a PM para agredir estudantes dentro da escola, não abrir diálogo com a comunidade, impedir a participação política dos estudantes, impedir a participação da comunidade na escola, etc. Com este acúmulo de violações, Valdete não pode continuar sendo a diretora da Escola Estadual Antonio Manoel Alves de Lima.

LEIA MAIS SOBRE O MURO DA VERGONHA CLICANDO AQUI

Sobre União - Campo, Cidade e Floresta

Noticias das LUTAS DOS POVOS EMPOBRECIDOS - NO CAMPO, NA CIDADE E NA FLORESTA.
Esse post foi publicado em Direito da Criança e Adolescente, Direitos Humanos, Não ao Muro. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s